Na maioria das vezes que eu escrevo um texto tento passar um pouco da minha experiência para quem se dispõe a ler o texto. Mas dessa vez eu escrevo também para mim. Esse texto tem um objetivo bem simples: resumir um pouco de minha experiência e compartilhar um objetivo para os próximos meses.

No último sábado, dia 05/05, eu tive a oportunidade de contar a minha história no programa Globo Esporte de Santa Catarina. O quadro, chamado Xô Preguiça, retrata a vida de pessoas que venceram o sedentarismo com exercício, atividade física e mudança no estilo de vida. Tenho que fazer em primeiro momento um agradecimento para o mestre Fabiano Braun, minha nutricionista Amanda Miranda, para o apresentador Alisson Francisco, para o repórter Marcelo Siqueira e ao cinegrafista Márcio Dantas. No final do texto eu deixo uma cópia do link da matéria completa para quem não conseguiu assistir.

IMG_3296
Foto dos bastidores da gravação do Globoesporte/SC

Falar sobre o que eu consegui nestes mais de três anos é algo muito complicado. Apesar de ter sido uma matéria alegre e conduzida de uma forma perfeita, o tempo não foi justo para contar detalhes sobre alguns pontos que vou relatar aqui. A mudança do sedentário de 120 kg para o maratonista que já correu mais de 48 provas é uma história que caberia em um livro (nota mental: e por quê não?). Mas o que eu quero falar não é a corrida em si. Mas o primeiro passo que eu menciono na reportagem. O primeiro passo é ACEITAR que você precisa mudar. Passar a vida inteira no mesmo lugar é confortável. Tão confortável que a vida acaba passando em frente aos nossos olhos e a saúde acaba indo junto com os dias desperdiçados.

Os primeiros dias de exercício foram fáceis. Começar a correr não é complicado. Correr é colocar um pé em frente ao outro para atingir um objetivo. O que é complicado foi manter a rotina. Correr em dias com vento, com chuva, com risadas abafadas de pessoas que vêem uma pessoa claramente acima do peso tentando começar uma atividade física. Isso sim é um desafio. Acordar dia após dia e continuar com a atividade mesmo sentindo dores. Mas a beleza do exercício está na resilência de continuar. Quando se vence a dificuldade, quando a vergonha acaba e quando a corrida vira uma necessidade é o sinal que estamos no caminho certo.

Com o inicio das corridas, do atendimento pela nutricionista e as primeiras provas descobri que a vida é muito mais do que simplesmente sentar em um cubículo e repetir processos. Viver é ter prazer, estar perto das pessoas que te deixam feliz e poder ter um senso de liberdade, onde você é dono de seu destino e não tem que responder para ninguém. A corrida, para mim, não é uma disputa para chegar em primeiro lugar. Na maioria das vezes é uma disputa para terminar a prova. Mas diferente da pressão do trabalho você só precisar lutar com o seu corpo e a sua mente.

A mente humana é uma caixinha de surpresas (parafraseando o poeta do futebol). Na maioria das vezes ficamos presos nas limitações criadas pelas nossas experiências prévias e não temos a coragem necessária para dar um passo a frente, preferindo ficar no mesmo lugar. A corrida, e toda a atividade física intensa, tem um poder libertador. A liberação de endorfina, alinhada com a mudança da frequência cardíaca, produz um efeito em nosso corpo mais prazeroso que qualquer comida gordurosa pode nos dar. O fato de vencer um desafio, não importando a distância, é uma mola propulsora para buscar uma rotina prazerosa e que não tem custo nenhum.

Sim, porquê a corrida é um dos esportes mais baratos que existem no mundo e depende apenas de sua vontade. Colocar o pé na frente do outro e vencer a distância planejada.

E é isso que eu espero poder contar aqui: não importa o quão difícil parece ser fazer uma atividade física COMECE agora. Nem que seja uma caminhada, um volta de bicicleta pela quadra de sua casa/apartamento, uma partida de futebol com os seus amigos. A sua saúde agradecerá.

Link para a matéria completa: http://globoesporte.globo.com/sc/videos/t/globo-esporte-sc/v/confira-a-primeira-reportagem-do-quadro-xo-preguica/6714118/